Ana Paula Lobo e Rodrigo dos Santos … 06/03/2017 … Convergência Digital

Ainda tem muita coisa para acontecer na transformação digital, mas esse é o momento que não dá mais para ficar fora. “Os próximos capítulos da história da humanidade passam pela transformação digital, que vai além da tecnologia. Ela reúne estratégia e tecnologia. Na verdade, há uma disruptura do modelo de negócios e não se pode ficar de fora”, adverte o CEO da TOTVS, Laércio Cosentino.

Em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital, o executivo lamenta o fato de a grande maioria dos brasileiros não ter acesso para entender a importância da transformação digital. “Existe o Brasil que tem acesso à tecnologia, que tem uma banda larga efetivamente funcionando, que sabe da mudança digital. Mas tem o Brasil que está longe de entender esse momento”, destaca.

Cosentino diz que o Brasil atrai capital para as empresas que estão investindo na criação de coisas disruptivas, mas num volume muito abaixo do desejado, uma vez que a migração para a transformação digital acontece em distintas velocidades nos segmentos produtivos. “Não há uma uniformidade, mas muitos que estão à frente dos negócios estão cientes que não podem ficar de fora. As pequenas empresas que não têm legados estão saindo na frente. Criar processos novos não é simples para as grandes empresas”, observa.

Sobre Inovação, Cosentino diz que o Brasil precisa criar, de fato, processos novos. Ele diz que poucas empresas, hoje, no país, de fato inovam. “Quais são e quantas são as empresas que realmente inovam no Brasil? Talvez menos de 50, sendo bastante otimista e pensando em processos efetivamente novos e não cópias do que está sendo feito lá fora. Se eu quero ter uma empresa inovadora, eu preciso ter um DNA da Inovação”, preconiza.

O ano de 2017 tem tudo para ser melhor do que os dois últimos anos, principalmente para as empresas que ajustaram suas operações. Para Cosentino, o Brasil precisa ser maior do que qualquer instabilidade, da Lava Jato e de qualquer cenário político. A transformação digital e os seus impactos são tema do 2º Seminário Brasscom Políticas Públicas & Negócios, que acontecerá nos dias 15 e 16 de março, em Brasília. Assistam a entrevista.

A Brasscom, hoje, representa 40 empresas do setor de TIC e 15 instituições e tem atuado na propagação de novas tendências, entre elas, Internet das Coisas, Big Data, Computação em Nuvem, Mobilidade, Segurança e Privacidade dos Dados. As inscrições para o 2º Seminário Brasscom Políticas Públicas & Negócios já estão abertas. Saiba como participar: http://seminariobrasscom.com.br/inscreva-se/